learn how to dream

Loading...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

‘’PARTE EMOCIONAL DO CONCEITO DE GRUPO’’

             A ideia do grupo ao criar o conceito foi transparecer os passos físicos e a sua influência psicológica no rapaz antes de um encontro.
     Generalizando, são passos específicos para chegar a um certo objectivo.
     Vamos inserir, no final do filme, uma frase (ex: está tudo na tua cabeça) para simbolizar que o aspecto não é o mais importante.
     As portas que o rapaz vai abrir serão as portas necessárias para possibilitar libertar a essência do seu ser, os seus sentimentos.
     Concluindo, o filme representa as preocupações iniciais de uma pessoa quando se entrega numa relação, enfatizando-as num aspecto cómico e dramatizando-as nas expressões que utiliza o rapaz nas ruas reacções aos ‘’defeitos’’.
     Vamos dar um aspecto ‘’Charlie Chaplin’’ ao filme, foi vai ser obrigatoriamente um filme mudo e se dermos esse aspecto visual e esse género de banda sonora ao produto final ficará bem mais credível e ‘’profissional’’ no sentido de que haverão mais coisas no sentido visual e sonoro que aumentarão a atenção do publico e a beleza visual será bem mais garantida e influenciada positivamente.

1) CONCEITO DE GRUPO – CINEMA E VÍDEO

Grupo: Catarina Granjo, Tiago e Inês.

História:
Um homem prepara-se para um encontro. No primeiro, ele chega todo despenteado à porta. Sente-se horrível, por isso volta para trás para voltar a pentear-se e arranjar-se (desenvolvem-se certas artimanhas e dificuldades para se pentear, pelo que iremos dar um aspecto cómico) e quando volta à porta a rapariga já não está lá.
No segundo, ele abre a porta, todo arranjado mas ‘’cheira o ambiente’’ e sente que cheira muito mal. Por isso, fecha novamente a porta na cara da outra rapariga para se ir perfumar. Para seu incómodo azar, todas as embalagens de perfume estão vazias, e corre a casa inteira à procura de uma cheia até que a encontra. Sente-se mais aliviado, põe o perfume e quando abre a porta repara que mais uma vez, outra rapariga se foi embora.
Na última vez, ele aparece à porta e nota que tem uma grande borbulha no nariz. Ele volta para trás e fecha mal a porta, deixando-a encostada, permitindo a passagem da rapariga sem querer. O rapaz encontra-se na casa de banho numa grande luta em frente ao espelho para espremer a borbulha porque nunca mais consegue (cómico mais uma vez). Quando chega a rapariga ela pergunta-lhe o que se passa. Ele fica a olhar para ela muito impressionado, com um ar espantado e surpreso. Ela ira-lhe as mãos do nariz e dá-lhe a mão e vão-se embora.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

PESQUISA - CINEMA ANOS 20

Laurel and Hardy (em português, O Bucha e Estica) foi uma famosa dupla de comediantes e uma das duplas cómicas mais populares do cinema dos Estados Unidos, em actividade desde o cinema mudo até meados da Era de Ouro de Hollywood. Composta por um homem magro, o inglês Stan Laurel (1890 – 1965) e um homem gordo, o americano Oliver Hardy (1892 – 1957), a dupla tornou-se conhecida durante as décadas de 1920 e 1930 pelo seu trabalho em filmes de comédia e também pela aparição em apresentações teatrais na América e na Europa.






Os dois comediantes trabalharam juntos pela primeira vez no filme mudo The Lucky Dog (1921). Após um período, aparecendo separadamente em várias curtas-metragens no estúdio de Hal Roach durante a década de 1920, eles começaram a representar juntos em 1926. Laurel e Hardy tornaram-se oficialmente uma dupla no ano seguinte, e rapidamente se tornaram as estrelas mais lucrativas de Hal Roach. Entre os seus filmes mais populares e bem sucedidos estão as longas-metragens Filhos do Deserto (1933), Dois Caipiras Ladinos (1937), e A Ceia dos Veteranos (1938) e os curtas Negócio de Arromba (1929), Liberdade e Seus Perigos (1929) e Caixa de Música (1932), este último vencedor do Óscar de Melhor Curta-Metragem (Comédia).


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

PESQUISA

Helena Almeida.
"Tentar abrir um espaço, sair custe o que custar, é um sentimento muito forte nos meus trabalhos.
Passou a ser uma questão de condenação e de, sobrevivência. Sinto-me quase sempre no limiar onde esses dois espaços se encontram, esperam, hesitam e vibram. É uma tentação aí ficar e assistir ao meu próprio processo, vivendo um sonho com duas direcções. Mas isso é intolerável e com urgência, qualquer coisa se liberta em mim como se quisesse sair para a frente de mim própria."

Ouve-me. 1979
Para um reconhecimento interior. 1977

Eu estou aqui. 2005


primeira aula de fotografia

na primeira aula de fotografia estivemos a visualizar um power point sobre fotografia e vários fotógrafos:

Documentaristo e Fotojornalismo Contemporâneo - yannis kantos; arko datta; finbarr o'reilly; raymond depardon

Retrato - Helena Almeida; Duane Michals; Sam Taylor Wood; Richard Avedon; Man Ray; Nadar

Sárie Fotográfica - Duane Michals

Surrealismo na Fotografia - Joel Peter Witkin; Francesca Woodman; Chema Madoz

Fotografia Contemporânea - Vic Muniz; Sam Taylos Wood; Bernard Lalcon; Berns and Hilla Becher; Andreas Gursky

RAID - primeiras experiências

vou começar pelas fotos que registei no metro:










agora seguem-se as fotografias na rua:




pesquisa de referenciais :

na internet:

Os meus medos

 Responsável pela imagem: © Miriam C de Souza , Reflexos online

Posso brincar com eles alegre e macabramente. Tornando-os algo cru, inocente e calmo. Tornando-os justos, evoluindo comigo e dando-lhes um valor subjectivo e caro.



Posso ter um medo terrível deles e tentar distribuí-los em lodo o lado menos perto de mim. Enxotando-os com gritos mudos e forças combinadas.


Posso rir-me deles, ser positiva e deparar-me com um e outro logo de seguida. Ser corajosa e enxotá-lo psicologicamente deixando que ele próprio de mova. Morra.

Responsável pela imagem: © Miriam C de Souza , Reflexos online

Posso também simplesmente sentar-me à janela, à espera que eles cheguem e acenem. A experiência tiraria-me o vagar de fugir enquanto eles não chegavam. O confronto é mais fácil.


Posso esconder-me deles irreverentemente e achar que assim me salvo de levar com eles. Para depois me deparar com a ideia de que é inútil.



Posso ir ter com eles e experimentar acariciá-los e observá-los com um carácter pouco perturbado e até deliciado, para ver se mudam. Se se tornam bons e coloridos.


Responsável pela imagem: © Miriam C de Souza , Reflexos online

Posso ir em frente à procura deles.


em revistas:















a escolha de um novo conceito

bem , nesta aula de projecto começámos por saber as tarefas para este módulo:


primeiro:

teremos de realizar um RAID Fotográfico , que passará por várias fases:

RAID 1 - Exploração de ideias (300 fotos)
RAID 2 - Seleccionar/desenvolver ideias
RAID 3 - Produto final (6 ou mais fotos)


segundo:

realização de 3 retratos no âmbito de fotografia , relativos a 3 diferentes vertentes.
teremos de relizar vários planos de fotografia , que consistem em :

1. ideia; mencionar conceito.
2. adereços; figurinhos; maquilhagem; cenário.
3. iluminação; cor; enquadramento; etc.


terceiro:

com um conceito decidido em grupos (4 pessoas)
terá de consistir numa acção plausível com:

6 cenas e tudo terá de ter mais ou menos 3 minutos.

teremos de arranjar banda sonora, pois não haverá captação de som.
''            ''           ''  cenários, que poderão ser desenhos, pinturas ou fotografias
terá de ser feito um storyboard no diário de projecto
- imagem por cena.
- descrição da cena.


o meu grupo para cinema/vídeo: Catarina Granjo, Marta Costa, Tiago Viana e Inês Poeira.


em casa fiz um plano de tudo o que haverá para realizar este módulos , para evitar baralhações e confusões mentais:


PLANO

  1. referenciais (texto, imagens, desenhos, etc.)
  2. pesquisa (autores de fotografias de RAID, autores de fotografia; autores de cinema; filmes; referências)
  3. exploração de ideias (RAID 1; planos para retrato; ideias para storyboard)
  4. selecção/desenvolvimento de uma ideia (RAID 2; 3 propostas de encenação de retrato; storyboard de grupo)
  5. realização (RAID 3 (6 ou mais fotos); 3 retratos finais; filme final)
  6. apresentação (RAID 3; 3 retratos; filme final - POWER POINT)


o desafio:

''tu, ao contrário de Gregor vais abrir todas as portas... o que encontras por detrás de cada uma delas?''

tal como todos os animais, este corpo possui várias vertentes:
  • a inocência
  • o amadurecimento
  • e a extrema inocência
isto é tudo metódico. dvidido por um horário tal como na escola e nos empregos. a inocência é segunda-feira. quando misturo a ''coboiada'' do fim de semana e o trabalho da segunda feira. nada é sem um senão. por isso, é normal que haja uma mistura de fases na minha cbeça. um sistema. o amadurecimento surge de quarta a sexta. é o crescimento. a volução. a fase da extrema inocência é de sábado a domingo. é o esquecimento de tudo o que aprendi.
basicamente a minha vida limita-se a uma semana e repete-se. nasço domingo, exremamente inocente, com uma cúpula transparente à minha volta, não sei nada senão aquilo que não sei. a vida. para mim, limita-se ao que vou aprender.
segunda feira sou criança e modesta. já sei dizer mamã e papá e já sei bater palmas e decorar canções.
de terça a sexta eu desenvolvo, passo quarta a crescer dois cêntímetros para quinta feira me nascerem os dentes todos e na sexta me tornar adulta. no sábado é a ''ultima paragem''. morro, não tenho nada a perder e posso voltar a ser criança.

e começa logo com cinema

bem , na primeira aula do novo módulo (audiovisuais) a turma foi dividida em duas partes ''iguais'', cuja metade foi para cinema e vídeo e outra metade foi para fotografia - nessa aula. entretanto, as aulas das tecnologias vão ser dispostas em aulas alternadas em que metade vai para fotografia e outra metade vai para cinema , e assim sucessivamente.

nesta aula estivemos a aprenser alguma coisas sobre cinema cujo algumas informações foram importantes de fixar:

  • o cinema foi inventado no dia 28 de Dezembrode 1895
  • inventado pelos irmãos Lumiérè
  • em Paris
  • através de um CINEMATÓGRAFO
  • actor muito conhecido - George Méliès
  • ''O Almoço do Bebé''




  • ''O Regador Regado''



  • ''Chegada do Comboio à Estação''

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Animação das primeiras semanas em Design de Comunicação

Nos ‘’primeiros tempos’’a design de comunicação, estivemos a ‘’familiarizar-nos’’ com o Photoshop e o sistema de animação virtual de fotografias. Inicialmente, tirámos uma foto com a câmara Web dos Apple que a escola nos proporciona:

O objectivo seguinte foi voltar a construir a fotografia com imagens de objectos vários e banais, como CD’s, bilhas, parafusos, etc.
Na minha imagem, reconstruí tudo à base de vários pneus, CD’s, fechaduras e cadeados.

video

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Mais uma Semana de Trabalho ...

apresentei , tal como mais 3 colegas , o meu pawer point , com as regras pedidas.

foram pedidos melhoramentos no nosso trabalho , pois em alguns aspectos não completavam as espectativas.

no meu caso , a capa será melhorada :

1. passará a ser com orientação vertical.
2. o título foi mudado para preto e para o canto superior direito da folha e a frase ou subtítulo ficara cinzenta e a minúsculas , logo por baixo do título
3. o nome do autor manteve-se no mesmo local e com as mesmas características.




na paginação tipo , haverá uma orientação de texto mais organizada. a página será dividida em duas , as imagens serão centradas em relação a cada texto e o título estara localizado na metade esquerda da folha , na parte superior da mesma e centrada em relação ao texto desse lado da folha.


Para além disto , continuei uma subtil exploração de ideias que me vão surgindo inevitávelmente.


na imagem do lado esquerdo :  a tua mudança transtorna-me de tal modo , que a minha vida fica sem sentido. sem sentido de uma maneira , que até os sentidos literais da vida ficam sem qualquer função. deixo de ouvir , cheirar , ver , sentir , saborear o mndo. deixo de ser eu , de ser boa no que quer que seja. por outro lado gosto de estar neste desconhecido absoluto , nesta mudança drástica que , de outro ponto de vista , me torna mais forte e serena.

na imagem do lado direito :  as certezas por vezes tornam-nos ridículos. insolentes. ninguém em a certeza absoluta de tudo. ninguém , por mais que tente , fica imune de magoar o próximo o resto da vida. ninguém é perfeito para ter a certeza de todas as suas acções. ninguém tem a certeza de saber onde é tudo por onde pisa. se o soubesse , teria uns enormes pés ...


na imagem acima :  desenho ao som da música. depressão. tristeza. saudade. desilusão. lágrimas. choro. promessas perdidas. mudança. descoberta. desconhecido. alcance. sorrir. tentativa. amor. amigos. diferença. diferir do antes. subtil. calmo. perfeito. quase perfeito. queda. voltar ao que se foi. saír do passado. indecisão. pergunta. volta acima. volta ao quase perfeito. as cores mudam. agressivo. impune. imune. austero. autoritário. depressão tristeza. saudade. desilusão. lágrimas. choro. promessas perdidas. pergunta. resposta. negação. autoritáriamudança. choro de alegria. sorrisos. voltar ao bom. ao excelente. ao perfeito. parabéns. agressivo. muito agressivo. brusco. perfeito, calmo, subtil. sorridente.


esta é uma poesia visual muito simples , com pedaços de letras de várias musicas.


''todos nós , em determinada fase da nossa vida , decobrimos que aquilo que fizemos não é apreciado pela maioria das pessoas que viveram em torno das nossas acções. pensamos em voltar atrás. perdemos literalmente a cabeça. depois , quando a procuramos , percebemos que já alguém fugiu com ela. a alma torna-se algo monstruoso e febrl. nada é como queremos , portanto só temos de viver com isso e seguir em frente por mais doentio que isso nos pareça.''

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Capa da Publicação

escolhi este modelo como capa da minha publicação , pois acho que representa bem o meu conceito , a frase ''depois do fim'' representa a minha reconstrução mental depois da tristeza que passei e o subtítulo ''o passado é teu'' tem um pingo de fora e determinação que se precisa para trabalhar e evoluir.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Quarta Aula de Projecto ...

iniciámos a quarta aula de projecto ao adquirir informações de como devemos fazer a nossa apresentação deste módulo.

será um power point. o nocco conceito será debitado , e logo se seguirá a aprecentação formal do documento :

terá :


1. capa

2. uma página tipo - deverá ter a constituição que puzermos na publicação e terá que ter a nossa demonstração da capa da publicação (final ou não) que realizámos em projecto.

3. demonstrações de poesia visual que realizámos

4. fotomontagem que realizámos em aula



para além destas informações , estivemos a escolher o nosso título e frase definitivos para utilizar na nossa capa da publicação

eu escolhi o título Depois do Fim e a frase O Passado é Teu.



logo depois disto , estivemos a divagar as nossas mentes em trabalhos plásticos vários. aqui estão as minhas três experiências :



acima , são duas imagens bastante simples (embora tenham dado muito trabalho) e com uma mensagem um pouco óbvia e ''previsível''.


nesta terceira imagem usei colagem , poesia visual uma aguada suave em tons de cinzento.